1802 Views3 comentários

Malefícios do Leite de Vaca

Malefícios do Leite de Vaca!

Nós somos os únicos mamíferos que continuam a beber leite após o desmame. E o pior de tudo: leite de outra espécie. Há de convir que o leite de vaca é um alimento maravilhoso, rico e completo para os bezerros.

No entanto, ao contrário do que a maioria das pessoas pensa a respeito do leite, ele causa, na maioria das vezes mais prejuízos do que benefícios à saúde. Problemas respiratórios como rinite, bronquite, asma e sinusite são desordens comumente associadas ao consumo desses alimentos. Além desses, prisão de ventre, gastrite, amidalite, cansaço, dores de cabeça e enxaqueca, dermatites e acne também são sintomas frequentes.

O fato é que esse alimento contém proteínas muito alergênicas, difíceis de serem digeridas, e que provocam  uma alergia, denominada tardia, devido ao aparecimento dos sintomas ocorrer até 3 dias após a ingestão do alimento. Essa reação alérgica gera uma inflamação no nosso organismo.

Hoje sabemos que doenças cardiovasculares,  câncer, diabetes entre outras, são desordens com caráter inflamatório. No entanto, viver inflamado internamente por conta do consumo do alimento alergênico aumenta as chances de desenvolvimento dessas doenças no futuro.

Leite e o Cálcio

Surpreendentemente não só o corpo humano é incapaz de absorver o cálcio do leite de vaca (especialmente pasteurizado), mas também ficou já provado que o leite pode aumentar as perdas de cálcio nos ossos. Como todas as proteínas animais o leite aumenta a acidez do pH do corpo humano que por seu lado desencadeia  uma correção biológica natural, o cálcio é um excelente neutralizador de acidez e o maior armazém de cálcio do corpo é exatamente o esqueleto.

Assim, o mesmo cálcio que os nossos ossos necessitam para se manterem fortes e saudáveis vai ser usado para neutralizar a acidez provocada pela ingestão de leite. Uma vez destacado dos ossos para equilibrar o pH, o cálcio é expelido pela urina causando um efeito surpreendetemente contrário ao que é “vendido” pelas indústrias leiteiras.

Sabendo tudo isto, percebemos finalmente porque os países com menor consumo de lacticínios são também aqueles que possuem menor incidência de fraturas ósseas na população. É triste ver que os profissionais de saúde continuam a ignorar estes fatos comprovados…

Para quem insiste em manter os lacticínios na sua dieta fique sabendo que o que compram no supermercado está muito longe de ser saudável. As vacas leiteiras recebem diariamente hormônios  de crescimento e de simulação de gravidez para aumentar a produção de leite, bem como antibióticos vários para diminuir infecções provocadas pelos mais variados mecanismos e químicos a que estão expostas. Estes materiais obrigatoriamente contaminam o leite e o seu impacto para os seres humanos que o consomem é ainda desconhecido.

Neste sentido, vale ressaltar algumas outras fontes alimentares de cálcio! O cálcio no organismo está distribuído entre os ossos, dentes e sangue estando envolvido no metabolismo de todas as células do corpo como no mecanismo de contração muscular, na transmissão de impulsos nervosos entre o cérebro e o resto do corpo até no equilíbrio do Ph do sangue.
A necessidade diária desse mineral varia conforme a idade, chegando a 1.200 miligramas por dia após os 50 anos.

Para garantir o consumo recomendado, a seguir, outras boas fontes de cálcio, lembrando que em um copo de 200 ml de leite tem 240mg de cálcio.

Brócolis: 100g contém 86mg de cálcio
Sardinha: 100g contém 500mg
Espinafre refogado: 100g contém 112mg
Salsa: 100g contém 170mg
Agrião: 100g contém 133mg
Rucula: 100g contém 117mg
Manjericão: 100g contém 211mg
Semente de gergelim: 100g contém 825mg
Linhaça: 100g contém 200mg
Grão de bico: 100g contém 120 mg
Feijão carioca: 100g contém 123mg
Feijão branco: 100g contém 110mg
Couve crua: 100g contém 130mg
Tofu: 100g contém 135mg
Aveia: 100g contém 405mg
Amendoa torrada: 100g contém 237mg
Castanha do Brasil: 100g contém 146mg
Noz crua: 100g contém 105mg
Laranja: 100g contém 51mg

E quais bebidas podem ser substituir o leite?

As bebidas vegetais podem ser uma ótima opção alimentar para quem  quer  diminuir o consumo de leite animal ou mesmo retirá-lo do dia a dia. Segue algumas das bebidas ja disponiveis no mercado e lojas de produtos naturais:

1- Bebida de arroz: É hipoalergênico, não contém glúten, por isso é indicado para celíacos. Tem pequeno teor de gordura e poucas calorias. Normalmente é adicionado de minerais e vitaminas.

2- Bebida vegetal de amêndoas – As amêndoas são oleaginosas ricas em proteínas e em ômegas 3 e 6. Não contêm colesterol e tem alto teor de vitamina E, um antioxidante que retarda o envelhecimento precoce e previne contra o surgimento de doenças como câncer.

3- Bebida vegetal de quinua – A quinua é um cereal com um bom perfil de proteínas além de ser fonte de vitaminas do complexo B e fibras.

4- Bebida vegetal de aveia – Sem lactose e sem proteína do leite. As fibras solúveis presentes na aveia são eficazes na redução dos níveis de colesterol e também no controle das taxas de açúcar no sangue.

Atualmente, no Brasil, já temos algumas marcas que trabalham com estes tipos de leite:

LEITES

?????????????

?????????????

LEITES3 LEITES4Você encontra em alguns supermercados, pela internet e em lojas de produtos naturias.

Consulte sempre o seu nutricionista!

*Post não patrocinado*

 

Veja também Inverno X Sopas Industrializadas

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

ACCIOLY, E.; SAUDESRS, C.; LACERDA, E. M. A. Nutrição
em Obstetrícia e Pediatria. Rio de Janeiro, RJ: Cultura Médica, 2003.
ARAÚJO, M. F. M. et al. Custo e economia da pratica do
aleitamento para a família. Revista Brasileira Saúde Materno
Infantil, Recife, v. 2, n. 4, p. 135-141, 2004.
ÁVILA, R. Aleitamento da criança no primeiro ano de vida.
Revista Portuguesa de Clínica Geral, Lisboa, n. 20, 339–346, 2004.
BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde.
Organização Pan Americana de Saúde. Guia alimentar para crianças menores de dois anos. Brasília, DF: MS, 2002.
BUARRAJ, C. M. et al. Terapia nutricional na doença inflamatória
intestinal. The Electronic Journal of Pediatric Gastroenterology,
Nutrition, and Liver Diseases, São Paulo, v.8, n. 4, 2003. Disponível em:<http://www.e-gastroped.com.
br/dec04/doenca_inflama_intest.htm>CARREIRO, D. M. Alimentação, problemas e solução para doenças crônicas. São Paulo, SP: Referência, 2008.
CARVALHO-JUNIOR, F. F. Apresentação clinica da alergia
ao leite de vaca em sintomatologia respiratória. Jornal de Pneumologia, São Paulo, v. 1, n. 27, p. 17–24, 2001.
Hegsted,M. Fractures, Calcium and Modern Diet. AJCN 74 (2001):571-73
Feskanich,D. Et al. Molk, dietary calcium and boné fractures in women: a 12-year prospective study. AJPH 87(1997):992-997.
US Departamento of Health and Human Services, Agency for healthcare Research and Quality, “Osteoporosis-linked fractures rise dramatically, “September 2009: ahrq.gov/research/sep09/0909RA36.htm
Freskanich,D. et al. Milk, dietary calcium and boné fractures in women: a 12-year prospective study. AJPH 87 (1997): 992-997.
Lanou, A.J. et al. Dairy products and boné health in children and Young adults: A reevaluation of the evidence. Pediatrics 115 (2005): 736-43.
News Online, “Conventional wisdom on milk questionetd, “Mar.7,2005.
Fekanich,D., Willet,W. Et al. Milk, dietary calcium and boné fractures in women: a 12-year prospective study. AJPH 87 (1997):992-7.
Owusu,W; Sillet,W.C. et al. J Nutr. 1997:127:1782-7
Freskanich,D.; Willet,W.C. et al. Am J Public Health. 1997 Jun; 87(6):992-7
Freskanich,D.; Willet,W.C. et al. Am J Clin Nutr, 2003 Feb;77 (2):504-11.

 

 

3 Responses to Malefícios do Leite de Vaca
  1. […] Veja também Malefícios do Leite de Vaca […]... marinastrazzer.com.br/chas-diureticos
  2. Valéria Salviano Responder

    Nossa, já tinha ouvido uma palestra sobre isso, mas aqui é osso porque moro no Nordeste, a cultura aqui é que leite bom é o de vaca, eu não gosto, meu filho mais velho quase não toma mas meu marido é viciado e minha filha de 8 anos também. Bom, vou procurar urgente outro tipo de leite e começar a adaptação. Beijo Marina! Obrigada por partilhar seu conhecimento e estilo de vida saudável!

    • Marina Strazzer

      Marina Strazzer Responder

      Imagino que aí seja mais difícil, linda!! Tente algumas opções pela internet (se não achar fácil aí). Super beijo, querida!!!

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Please enter your name, email and a comment.